Primeiros Socorros

Primeiros socorros são os atendimentos imediatos e rápidos ao acidentado até seu encaminhamento ao médico, em casos mais graves. Neste sentido, primeiros socorros são procedimentos de emergência. É necessário que sejam os mais corretos possíveis para evitar problemas futuros. É também
necessário que o laboratório disponha de uma farmácia de emergência.
No laboratório podem ocorrer, principalmente, vertigens, corpos estranhos e substâncias químicas nos olhos, queimaduras, cortes e envenenamentos. Vamos relacionar aqui alguns lembretes importântes para auxiliar nos procedimentos de primeiros socorros:
• Ter no laboratório um cobertor, para caso de fogo e proteção de feridos.
• Evitar, sempre que possível, tocar ferimentos com as mãos, peças de roupas ou qualquer outro material contaminado.
• Em caso de desmaio, deitar o indivíduo de costas, com a cabeça mais baixa que o corpo, fazendo-o respirar amoníaco ou vinagre.
• Em caso de sinais de desmaio sentar o indivíduo e curvar sua cabeça entre as pernas, fazendo-o respirar profundamente.
• Em caso de hemorragias, fazer compressão do ferimento com curativos esterilizados. Dependendo do local do ferimento, esta compressão poderá ser feito diretamente ou a uma certa distância do mesmo.
• Em caso de contato da pele com substâncias químicas promover uma lavagem abundante do local com água.
• Em caso de queimadurs por contato ou respingos, providenciar a lavagem da área com água fria, por um período de pelo menos 15 minutos, encaminhando em seguida o acidentado ao socorro médico mais próximo.
Para cada caso específico recomenda-se os procedimentos abaixo:
a) VERTIGENS: no estado de inconsciência, deve-se evitar aglomerações em torno do paciente, levá-lo para um lugar mais arejado e afrouxar sua roupa ao redor do pescoço. Deve-se deixá-lo sentado com a cabeça entre as pernas ou deitá-lo de costas com a cabeça mais baixa que o corpo. Não se deve ministrar nada por via oral, sendo recomendável induzir uma inalação de amoníaco ou vinagre. Quando o paciente voltar a si, dar um estimulante, como café ou chá, por exemplo.
b) CORPOS ESTRANHOS NOS OLHOS: com muito cuidado lavar os olhos abundantemente com água limpa e após manter a pálpebra fechada.
c) SUBSTÂNCIA QUÍMICA NOS OLHOS: lavar os olhos abundantemente com água limpa. Evite a utilização de substâncias neutralizantes de acidez ou basicidade, colírios anestésicos, entre outros.
d) QUEIMADURAS: a queimadura pelo calor deve ser lavada abundantemente com água fria por cerca de 15 minutos e após conforme a extenção, pode-se usar vaselina esterilizada para cobrir a região queimada. Se for por ácido ou base, deve-se lavar com água fria abundantemente até a eliminação da substância.
e) INGESTÃO DE SUBSTÂNCIAS QUÍMICAS: inicialmente deve-se dar de beber 1 ou 2 copos de água à pessoa acidentada. Se necessário provocar vômito pela estimulação mecânica da faringe ou pela ingestão de estimulantes químicos, como o xarope de ipeca. Jamais provocar vomito se a pessoa estiver desacordada, ou se ingerir substância corrosiva, cáustica ou solventes voláteis.

f) PRODUTOS QUÍMICOS EM CONTATO COM A PELE: deve-se promover a diluição e eliminação da substância agressiva, pela lavagem exaustiva com água. Evite a colocação de substâncias que podem ocasionar desenvolvimemto de reação química sobre a pele, como por exemplo, reações de neutralização.
g) CORTES: lavar abundantemente o local do ferimento com água. Não retirar fragmentos fixados no local do corte. Se necessário interrompa a perda de sangue (hemorragia) por elevação do membro ferido, seguido de
pressão próxima do ferimento. Evite fazer torniquete. Algumas recomendações e orientações gerais e/ou básicas para prestar primeiros socorros:
• Em presença de qualquer acidente, leve ou grave, NÃO PERDER A CALMA. Isto influi na maneira de pensar e agir. Demonstrar segurança, tanto no atendimento ao acidentado como na orientação dos presentes.
• Manter o ferido quieto, agasalhado e em posição confortável; afrouxar as roupas (colarinho, cinta, soutien).
• Afastar os espectadores, deixando o ambiente livre para a prestação do socorro e a remoção do acidentado.
• Obter a colaboração do grupo, dando para algumas pessoas atividades, tais como: providenciar a presença de um médico ou a vinda de uma ambulância, fornecendo neste caso o endereço correto, podendo, às vezes, ser solicitado
auxílio para o próprio cuidado do paciente.
• Evitar comentários dos presentes, principalmente se o paciente estiver consciente.

• Examinar o acidentado rápida e completamente, tomando providências como:
* em caso de hemorragia – procurar controlar o sangramento, através de curativo ou compressão manual;
* manter limpas as vias respiratórias, fazendo a limpeza da boca;
* quando necessário, aplicar a respiração artificial ou massagem cardíaca;
* não administrar líquidos nem medicamentos;
* movimentar o paciente o mínimo possível e, quando necessário, fazê-lo com cuidado;
* movimentar o fraturado só após a imobilização adequada;
* dexar o paciente com a cabeça voltada para o lado, evitando uma possível aspiração de vômitos.
Técnica de Aplicação da Respiração Artificial:
• Colocar o paciente em decúbito dorsal (deitado de costas).
• Levantar seu pescoço com uma das mãos e manter sua cabeça inclinada para trás.
• Manter a cabeça na posição adequada com a mão direita, e com a esquerda puxar o queixo da pessoa para baixo, de forma que a lingua não impeça a passagem de ar.
• Colocar a boca com firmeza sobre a boca do paciente, protegida por um pano limpo.
• Fechar as narinas do paciente, com o auxilio do plegar e do indicador.
• Insulflar ar para o interior da boca do acidentado, até notar que seu peito esteja elevado.
• Deixar o paciente expirar o ar livremente.
• Estes movimentos serão repetidos 15 vezes por minuto.
• Periodicamente, pressionar com delicadeza o estomago do paciente, evitando que se encha de ar.
• Quando dispuser do respirador artificial “AMBU”, este deverá ser utilizado por ser mais eficiente, podendo ser operado por uma pessoa por maior tempo.
Técnica de Massagem Cardíaca Externa:
• Colocar o paciente em decúbito dorsal sobre uma superfície firme.
• Manter a cabeça bem estendida para trás.
• Pressionar o peito do paciente sobre o externo (osso do peito) com as duas mãos espalmadas, uma sobre a outra, firmemente, cerca de 60 vezes por minuto.
• Massagem cardíaca se alterna com a respiração artificial, um movimento respiratório para cada quatro compressões cardíacas.
Para a prestação de primeiros socorros recomenda-se ter no laboratório, em local de fácil acesso e bem sinalizado, uma caixa ou armário contendo material necessário para atendimento de emergência, quais sejam:
• Uma cópia do folheto comunicando os procedimentos de primeiros socorros.
• Um número suficiente (não menor que 12) de pequenas bandagens esterilizadas para ferimentos nos dedos.
• Um número suficiente (não menor que 06) de bandagens esterilizadas de tamanho médio para ferimentos nas mãos e nos pés.
• Um número suficiente (não menor que 06) de bandagens esterilizadas de tamanho grande para outras partes lesadas.
• Um estoque suficiente de esparadrapo.
• Um estoque suficiente de rolos de algodão esterilizado em pacotes de 15 gramas.
• Um estoque suficiente de vaselina esterilizada.
• Um número suficiente (não menos do que 04) de compressas esterilizadas para os olhos em pacotes selados e separados.
• Uma bandagem de borracha ou bandagem de pressão.
• 1000 mL de soro fisiológico.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: